História da Ferrovia

 



"O problema não é inventar. É ser inventado hora após hora e nunca ficar pronta nossa edição convincente."
Carlos Drummond de Andrade

A história da ferrovia começa, assim como que por acaso, por volta de 1550, nas minas da Alsácia (Bélgica), onde já havia vagão de minério, com rodas flangeadas, de madeira, correndo sobre trilhos também de madeira. A evolução começa, mesmo, em 1712, dois artesãos de Cornualha, o serralheiro Newcomen e o vidreiro Calley, construíram uma máquina a vapor para tirar água das minas. Muitos anos mais tarde, em 1770, James Watt transformou a máquina de Newcomen. Condensou vapor fora do cilindro, realizando depois o "duplo efeito". Criou, assim, uma nova máquina, aplicável a qualquer indústria e, tempos mais tarde, também aos veículos.

Em 1784, William Murdoch, ex-aprendiz de James Watt, observou que o vapor poderia ser usado para mover as rodas de um veículo. Construiu, então, um triciclo - sua primeira experiência bem sucedida. Entretanto, não levou suas pesquisas adiante.

Vinte anos mais tarde, em 1804, Richard Trevithick construiu uma máquina a vapor que andava sobre os trilhos de uma linha industrial, em Penydarrem, na Gália do Sul. É a primeira locomotiva do mundo.

Entre 1808 e 1838, aquelas máquinas fantásticas evoluíram muito e inventores da Inglaterra e Estados Unidos, se interessaram pelo assunto e desencadearam um progresso muito grande. Trevithick construiu outra locomotiva - a "cathc-me-who-can", para circular sobre trilhos, em espaço fechado, na cidade de Londres (1808). Fenton & Murray construíram, em 1811, a primeira locomotiva a cremalheira do mundo, para as minas de Middleton. Outros inventores, das mais variadas nacionalidades, se interessam pelas máquinas e também iniciam suas experiências.

Em 1822, com a participação financeira de Edward Pease e de Michael Longridge, proprietário da Fundição de Bedlington, George Stephenson fundou, no dia 23 de junho, a primeira empresa do mundo para construir locomotivas, chamada Robert Stephenson & Co. A primeira locomotiva construída por esta empresa, a "Locomotion", data de 1825.

Em 1824, o Coronel John Stevens, construiu e fez circular em sua propriedade, em Nova Jersey, uma máquina a vapor. Foi a primeira locomotiva dos Estados Unidos e das Américas.

Seis anos mais tarde, em 1830, Horatio Allen projetou e a West Point Foundry construiu a "The best friend of Charleston", que foi a locomotiva que inaugurou a primeira linha regular de passageiros dos Estados Unidos: a South Carolina & Hamburg Railroad. Naquele mesmo ano, Charles Vignoles, baseado em desenhos feitos por Robert Stevens, criou um trilho com um novo perfil, para substituir o de duplo boleto. O novo trilho passou a ser usado universalmente, até os dias atuais.

Em 1832, foi inaugurada na Filadélfia, a fábrica de locomotivas Baldwin Locomotive Work, que se transformou na mais importande do mundo. Seu fundador, Mathias Baldwin, era um joalheiro, que ficou famoso pelas locomotivas a vapor que construiu.

A primeira ferrovia da América Latina foi inaugurada em 19 de novembro de 1837, em Cuba, ligando La Habana a Güines.

Em 1839, finalmente, a Itália e a Holanda ganharam suas primeiras locomotivas. A Bayard, do tipo "Patentee", foi a primeira locomotiva a trafegar na Itália, na ferrovia ligando Nápoles a Portici. Foi construída na Inglaterra, pela empresa Longridge & Starburch. Já na Holanda, as duas primeiras locomotivas, a "Snelheid" e a "Arend", também do tipo "Patentee", foram construídas por Robeert Stephenson & Co.

Um ano mais tarde, em 1840, a França construiu sua primeira locomotiva, a "Gironde", para a ferrovia Paris-Versailles. O construtor foi Le Creuset. A Bélgica ganhou sua primeira locomotiva, a "Namur", em 1845. Foi construída por Tulk & Ley, de Whitehaven, na Inglaterra, para a linha Namur-Liege.

A primeira ferrovia da América do Sul foi inaugurada em 1851, no Peru: um trecho de 14 quilômetros, entre Lima e Calero. Um ano depois, em 1852, o Chile inaugurou sua primeira ferrovia, cuja construção teve início em 1849.

A primeira linha transcontinental foi inaugurada em 1869, nos Estados Unidos. A linha, ligando Nova York a San Francisco da Califórnia, tinha extensão de 5.300 Km. O Japão recebeu sua primeira locomotiva em 1872. Construída na Inglaterra, pela Vulcan Foundry, circulava entre Tóquio e Yokohama.

No Brasil, a história da ferrovia tem início no ano de 1835, quando o regente Feijó sancionou o Decreto 100, autorizando o governo a conceder carta de privilégios para quem fizesse uma estrada de ferro do Rio de Janeiro (então capital) para as províncias de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia. Entretanto, vários problemas de ordem econômico-político-social, retardaram o surgimento da primeira ferrovia brasileira, que só foi inaugurada em 30 de abril de 1854. Visconde de Mauá construiu a ferrovia que ligava o porto de Mauá até a raiz da Serras da Petrópolis. Com 14,5 Km de extensão, a Estrada de Ferro Muá (inicialmente chamada Imperial Companhia de Navegação a Vapor e Estrada de Ferro Petrópolis) tinha raio mínimo de 290m, rampa máxima de 1,8% e bitola 1,676m. A importância da Estrada de Ferro construída por Mauá está no seu pioneirismo e não sobreviveu.

O pontapé inicial havia sido dado e as companhias ferroviárias brasileiras começaram a surgir: E.F. Recife a S. Francisco e E.F. D. Pedro II - mais tarde, denominada Estrada de Ferro Central do Brasil (1858), E.F. Bahia-S.Francisco (1860), E.F. Recife a Caxangá (1867), E.F. Santos a Jundiaí (1868), E.F. Recife a Olinda (1870), E.F. União Valenciana (1871), Cia Paulista de E.F. (1872), E.F. Itauana, E.F. Campos - S. Sebastião, E.F. Macaé a Campos (1873), E.F. Niterói a Macaé (1874), E.F. Leopoldina, Cia Mogiana de E. F., E. F. Sorocabana, E. F. Central da Bahia e E. F. São Paulo - Rio (1875), E. F. Oeste de Minas (1881) e E. F. Vassouras (1884).

Muitos acontecimentos importantes (ampliação de linhas, surgimento de novas companhias, o sucesso da ferrovia, competição com as rodovias, por exemplo) foram registrados entre 1884 até os dias atuais. Em 30 de setembro de 1957, através da Lei nº 3.115, foi constituída a Rede Ferroviária Federal. Passaram a fazer parte da Rede Ferroviária as seguintes estradas de ferro: Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, Estrada de Ferro Bragança, Estrada de Ferro São Luiz-Teresina, Estrada de Ferro Central do Piauí, Rede de Viação Cearense, Estrada de Ferro Mossoró-Souza, Estrada de Ferro Sampaio Corrêa, Rede Ferroviária do Nordeste, Viação Férrea Federal Leste Brasileiro, Estrada de Ferro Bahia-Minas, Estrada de Ferro Leopoldina, Estrada de Ferro Central do Brasil, Rede Mineira de Viação, Estrada de Ferro Goiás, Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, Rede de Viação Paraná-Santa Catarina, Estrada de Ferro Dona Tereza Cristina. Mais tarde, também foram incorporadas a Estrada de Ferro Santa Catarina e a Viação Férrea Rio Grande do Sul.

 


[Página Inicial] 

© 2004 SVL- Comercio e Indústria Ltda_EPP - Todos os direitos reservados
Última atualização: 14 dezembro 2004 10:13:22